DAR MAIS A SI MESMO

Há uns dias atrás estava a conversar com uma pessoa amiga que me dizia o quanto as exigências da vida pessoal e profissional ocupavam a maior parte do seu tempo, e como isso lhe estava a causar episódios cada vez mais frequentes de ansiedade.

Perguntei-lhe quando fora a última vez que tinha dedicado algum tempo para estar consigo mesma, desde uma ida sozinha à praia numa tarde de Verão, saborear um café sem estar preocupada com as responsabilidades, um passeio pelo parque. A resposta foi um silêncio completo.

A verdade é que este não é um caso único, conheço muitas pessoas com quem convivo regularmente e de uma maneira geral, quando são pessoas muito focadas na sua carreira profissional ou com grandes exigências de tempo a nível familiar, normalmente caem nesta categoria.

Muitas destas pessoas habituaram-se de tal forma a não reservar tempo para si mesmas que quando lhes pergunto me respondem que “Isso não é prioritário pois não?” ou “Para que preciso de tempo para mim mesmo?”

Permita-me que lhe responda a essas questões

Eu acredito que a vida é uma dádiva, e que o ato de Dar faz parte da nossa existência. Desde que nascemos, quando nossa mãe “dá à luz” até ao dia em que por fim “damos o último suspiro”, Dar permeia toda a nossa história de Vida.

Na vida pessoal, dar amor aos nossos familiares, dar tempo aos amigos, dar atenção a quem precisa de nós, dar conselhos aos nossos filhos, dar companhia a quem se sente só, dar apoio nos momentos menos bons, dar horas de sono para cuidar de quem está doente, dar esforço para construir uma família, dar sorrisos e alegrias.

Na vida profissional, dar “o litro” por um projeto, dar tempo aos clientes e aos colaboradores, dar horas da vida pessoal para estudar e aprender, dar momentos com a família para trabalhar, dar as melhores orientações à equipa, dar feedback, dar “o peito às balas” quando os desafios não são fáceis.

Conheço pessoas maravilhosas que são verdadeiras Dadoras em todos os aspetos da sua vida, como a pessoa amiga de quem falo no início do texto. Habituaram-se de tal forma a Dar às pessoas à sua volta que por vezes esquecem-se de quem está com elas 24h por dia, 365 dias por ano: elas próprias.

Por isso convido-o a parar para pensar se está disposto a Dar a si mesmo.  Na vida, nada se cria e nada se perde, tudo se transforma. Se apenas se dedica a Dar e nunca a Receber, como é que vai manter e cuidar da fonte donde brota a energia que permite Dar aos outros?

Acredite, ninguém é uma fonte de energia inesgotável.

É incrível o que pode acontecer a alguém quando cultiva mais o seu amor-próprio e se decide por momentos a ser o único foco da sua vida. Tem a oportunidade de fazer uma pausa, parar para respirar e sentir-se mais leve. Pode, com tranquilidade e sem distrações, esvaziar a mente dos desafios, problemas e exigências que a vida e recarregar as baterias físicas e emocionais. Pode até usar esses momentos de paz e serenidade para, sem pressas, se conhecer melhor e colocar em perspetiva os seus sonhos e prioridades.

À primeira vista esta ideia do “amor próprio” e dedicar-se a “si mesmo” pode parecer-lhe algo esotérico ou new age, o tipo de afirmações que encontraria em qualquer livro de auto-ajuda.

Contudo e como atestam vários estudos na área da psicologia positiva, o amor-próprio e a autoestima, no fundo gostar e tratar mais de si são um fator

fundamental para a saúde mental e o bem estar físico e psicológico, prevenindo a ansiedade e a depressão.

É por isso que quando preciso de parar para Dar a mim mesma, recorro aos serviços da Dermashop onde posso sempre contar com as boas energias, o profissionalismo e a dedicação do Professor Nuno Pacheco e de uma equipa de profissionais de excelência que cuidam de mim de forma exemplar. Um grupo de pessoas que sabe Dar os melhores cuidados na área da saúde e da beleza e com quem posso sempre contar quando é preciso fazer uma pausa das exigências e desafios da vida pessoal e profissional.

Afinal de contas, foi no decorrer de uma visita às suas instalações, enquanto relaxava do stress acumulado e recarregava energias, que me surgiu no pensamento esta reflexão sobre a necessidade de saber Dar, a mim e aos outros, e que partilhei consigo ao longo deste texto.

Por isso continue a Dar aos outros mas não se esqueça que, por vezes, também tem de saber Dar a si mesmo. E se me permite a sugestão, conte com a Dermashop para lhe Dar os melhores cuidados de saúde e beleza!

Fátima Sendim

Fátima Sendim Executive Coaching

 

Deixe uma resposta